sexta-feira, 10 de junho de 2011

A REVOLTA DA CHIBATA E OS BOMBEIROS DO RIO DE JANEIRO




Abaixo publico texto que recebi de um companheiro do BPCHOQUE

A REVOLTA DA CHIBATA E OS BOMBEIROS DO RIO DE JANEIRO

No ano de 1910, ocorreu uma rebelião militar na Marinha do Brasil, mais conhecida como a Revolta da Chibata, porque até aquele ano o Brasil era tão atrasado que ainda CHICOTEAVA COMO ESCRAVO OS HOMENS LIVRES. O corpo militar contava com diferentes castigos físicos sob os membros inferiores, como cabos, soldados e sargentos, onde ocorria tanto na força do Exército quanto na Marinha.

Na Marinha qualquer desvio de conduta ocasionava em castigos com açoitamentos. Após a condenação do Marinheiro Marcelinho Meneses a 250 chibatas, em 1910, onde os demais marinheiros tiveram que “obrigatoriamente” assistir ao castigo, os mesmo se revoltaram. No dia 22 de novembro de 1910, os marinheiros se rebelaram e tomar posse do navio Minas Gerais, com isso, outros três navios aderiram ao movimento, sendo eles: São Paulo, Bahia e Deodoro.

Como líder, este movimento teve João Cândido, onde o comandante do navio de Minas Gerais juntamente com outros oficiais foram mortos e o conflito tomou outras dimensões, isto é, de luta armada que ocasionou também mortes do lado dos marinheiros. As reivindicações dos marinheiros eram apenas duas: “o fim dos castigos corporais e a melhoria na alimentação”, e assim solicitando suas reivindicações, João Candido enviou através do rádio uma mensagem ao Palácio do Catete (Rio de Janeiro que coincidência), dizendo que caso não fossem aceitas as mudanças exigidas pelos marinheiros, haveria um bombardeamento contra a cidade.

Os navios estavam ancorados na Baía de Guanabara, estando apontados diretamente para o centro da cidade, onde fez com que o presidente Hermes da Fonseca ficasse sem saída. Entretanto, com a iniciativa do senador Rui Barbosa, foi aprovado às reivindicações propostas pelos marinheiros e ainda nenhum deles seria preso. Assim, os marinheiros revoltosos se entregaram a autoridade, e os castigos corporais foram definitivamente encerrados, porém os líderes do movimento foram presos, inclusive João Candido. Com a precária condição da prisão muitos desses líderes presos morreram em cárcere, sendo que João Candido sobreviveu e foi absolvido pelo julgamento ocorrido em 1912. Desta forma, ficou conhecido como Almirante Negro que faleceu em 1969.

Meus amigos, passados 101 anos, pouca coisa mudou na cabeça dos mandatários políticos, hoje o tratamento dispensados aos militares em particular os policiais e bombeiros é outro. Hoje já não somos mais açoitados, somos humilhados miseravelmente, com um salário de fome, não temos fundo de garantia, não temos indenização, não temos horas extras, não temos plano de saúde, nem em ônibus podemos ir sentados. Eu não conheço nenhum profissional dentro do Brasil ou fora dele, que em seu juramente ele diga: “Com o risco da própria vida”, essa frase cai como uma luva aos policiais e bombeiros senão vejamos: Que classe trabalhadora vai de encontro a morte combatendo a bandidagem nas noite?, que classe trabalhadora muitas vezes recolhe cadáveres em estado de decomposição?, que classe trabalhadora entra em um estabelecimento prisional em rebelião?, que classe trabalhadora enfrenta os Sem Terras armados com foice, enchadas, facas?, em meus 26 anos de policial vi muitos amigos perderem suas vidas pelas balas de vagabundos protegidos pelos Direitos Humanos, Advogados de Porta de Cadeia, Leis Defasadas, vi suas esposas, filhos, pais, amigos, chorarem na hora do sepultamento, e os colegas policiais externarem todo o seu ódio e tristeza atirando para cima. Chorei muitas vezes a cada enterro com uma dor no peito, querendo fazer justiça com as próprias mãos.

Vendo a atitude de um certo Governador que desprovido de sensibilidade, caráter, capacidade administrativa. Manda policiais agredir os Bombeiros Cariocas e tive nojo. Os Bombeiros queriam apenas aumento de salário, era tudo o que eles queriam. Eles não queriam colocar dinheiro nas meias, nas cuecas, não lutavam para ter dinheiro nos paraísos fiscais, eles não queriam um mensalão, eles não queriam aumentar “escrotamente” os lucros das empresas “fantasma” 20 milhões em 4 anos, ou mesmo eles não lutavam para sair em passeatas LGBT com as viaturas, eles não pediam liberação para a maconha (como tá querendo um certo ex-presidente). Queriam apenas melhorar o salário e poder fazer uma feira digna e levar para seus filhos um pedaço de queijo, iogurte, frutas.

EU ME PERGUNTO, MUDOU ALGO EM 101 ANOS??? O GOVERNO DO RIO DE JANEIRO MUDOU A CHIBATA, POR BALAS, CASSETETE, PRISÕES, E O TRABALHADOR E CHAMADO DE VANDALOS.

PRA MIM O VERDADEIRO VANDALO ESTAR DENTRO DO PALACIO DA GUANABARA. E EM TANTOS OUTROS PALÁCIOS DENTRO DESSE BRASIL.

QUE A REVOLTA DA CHIBATA NÃO SEJA ESQUECIDA E SE REPITA !!!

Assina: Policiais e Bombeiros do Brasil.

2 comentários:

paulo disse...

Excelente texto que mostra ter passado mais de cem anos e muito pouco mudou. Os governantes continuam humilhando os policias militares com escalas de serviços apertada e salários que parecem esmola.

Julio Seidenthal disse...

Capitão,bem lembrada a revolta da chibata, devidamente nomeada como revolta cidadã, concordo com suas reivindicações, mas abro um parenteses sobre os direitos humanos, pois são esses mesmos direitos que sustentam a razão e iniciativa desta revolta. Sou solidário, com qualquer luta que eu julgue justa, afinal um estado de direito sem luta, a democracia é fictícia,e pouco representativa.