terça-feira, 12 de maio de 2009

Cobrança por transparência irrita Uchoa

Saiu no JC

» ASSEMBLEIA
Cobrança por transparência irrita Uchoa
Publicado em 12.05.2009


Jorge Cavalcanti
jorge.cavalcanti@jc.com.br

O presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa (PDT), voltou a assumir a linha de frente na defesa dos colegas de plenário. Desta vez, em relação à divulgação na internet das notas fiscais dos gastos dos parlamentares com a verba indenizatória – fixada em R$ 11.250 por mês. Irritado com a cobrança pela transparência, Uchoa determinou aos outros seis membros da mesa diretora que seria o único a dar qualquer informação sobre a Casa à imprensa.

No último domingo, o JC publicou uma matéria em que diz que a Assembleia ainda não adotou nenhuma iniciativa para publicar as despesas da verba em seu site (www.alepe.pe.gov.br), apesar da Câmara dos Deputados ter adotado a medida desde o início do mês passado. Ontem, o JC procurou o primeiro-secretário, João Fernando Coutinho (PSB), para obter outras informações. Mas o deputado, a quem cabe administrar o orçamento da Casa, comunicou que só o presidente falaria, por ordem do próprio Uchoa.

Já o presidente se mostrou irritado pela insistência no interesse pala publicação das notas. Ao entrar no elevador da Assembleia, disparou: “Sobre essa matéria, você pode continuar falando que não vai para canto nenhum. Me recuso a falar. Pode colocar aí: ‘Uchoa se recusa a falar’”. Ao ser indagado sobre o fato da Assembleia seguir as medidas adotadas pela Câmara, inclusive quando é para elevar benefícios, Uchoa deixou claro que não pretender adotar a divulgação das despesas na internet. “Em algumas coisas, a gente segue (a Câmara). Em outras, não somos obrigados”, disse.

O JC tentou contato com os demais seis membros da mesa, mas só obteve êxito com três. João Fernando, que havia classificado a publicação das notas como uma “tendência natural”, preferiu não falar. O 1º vice-presidente, Izaías Régis (PTB), disse que não podia emitir opinião antes da reunião da mesa, agendada para o próximo dia 26. O segundo-secretário, Sebastião Rufino (DEM), seguiu o mesmo tom: “Não vou dar minha opinião, pois o colegiado ainda vai decidir”.

Na atual legislatura, esta não é a primeira vez que Uchoa assume em público o ônus de alguma cobrança. Conhecido por ser corporativista e polêmico, ele defendeu o interesse dos pares quando a Casa foi criticada por não adotar uma lei antinepotismo, assim como fez o Executivo, o Tribunal de Contas, a Prefeitura e a Câmara do Recife.

Fonte: http://jc3.uol.com.br/jornal/2009/05/12/not_330207.php

----------------------------
Comentário:

Mais um que está "se lixando" para a Opinião Pública, como se fosse um Monarca eterno, parece que nem haverá eleição ano que vem, vamos lembar disso...

Um comentário:

Vlademir Assis disse...

Da coluna Pinga Fogo do JC 12-05-2009

» Se a moda pega

O deputado que se lixa para a opinião público, Sérgio Moraes (PTB-RS), anda fazendo escola. Cobrado, ontem, sobre a divulgação dos gastos com a verba indenizatória, Guilherme Uchôa reagiu: “A Assembleia não presta contas ao JC”.

http://jc3.uol.com.br/jornal/2009/05/12/col_53.php