domingo, 6 de julho de 2008

Ricardo Balestreri assume a Secretaria Nacional de Segurança Pública

Ricardo Balestreri assume a Secretaria Nacional de Segurança Pública

Brasília 04/07/08 (MJ) – O ministro da Justiça, Tarso Genro, empossou nesta sexta-feira (4) o educador Ricardo Balestreri como secretário Nacional de Segurança Pública. Especialista na área de direitos humanos, Balestreri assume o posto com o compromisso de incentivar projetos que garantam rigor nas ações policiais, mas com respeito à cidadania.

“Precisamos superar uma visão antagonista que concebe direitos humanos e polícia como inimigos. Num país democrático, os policiais devem ser protagonistas do processo civilizatório. E se o preço de deter um bandido é tirar a vida de um inocente, ele nunca deve ser pago”, ressaltou.

Outra prioridade do secretário é o investimento na formação de policiais e gestores de segurança pública. “Passamos 40 anos investindo em viaturas e armas e hoje temos esse cenário. O capital humano é a essência da segurança pública. Se não investimos na sua formação é impossível ter uma polícia preparada para proteger a população. Não gosto do termo polícia de elite, porque todos os policiais, mesmo os que trabalham nas áreas mais perigosas e distantes, têm que ter uma formação de elite”.

Balestreri anunciou nesta sexta-feira a compra de micro câmeras que serão utilizadas para gravar operações importantes da Força Nacional e evitar abusos dos policiais. As imagens serão entregues ao próprio secretário e ao inspetor-geral da Força, Erich Meyer – responsável por investigar denúncias contra policiais em atividade da Força Nacional.

Segurança com cidadania

O secretário informou ainda que a Senasp só financiará a compra de armas de baixa letalidade para serem usadas pelas polícias estaduais. “Em áreas urbanas, vamos substituir armas de guerra - fuzis e metralhadoras - por armas que garantam a segurança do policial e da comunidade em volta. Vamos investir em carabinas ponto 40, que não têm poder de passar por objetos”, explicou.

Balestreri lembrou que a Senasp não é um “mero banco financiador” de projetos, mas um órgão que incentiva políticas públicas de acordo com as diretrizes do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). “Temos clareza com o Pronasci de que o modelo que mais reduz a criminalidade ordinária, assaltos, roubos, seqüestros é o padrão de policiamento por proximidade, ou polícia comunitária. Os entes federados terão recursos federais se apresentarem projetos nessa linha”.

O ministro da Justiça, Tarso Genro, acompanhou as habilidades de gestor do novo secretário nos três meses em que Balestreri esteve interino na Senasp. “Nesse período, ele demonstrou ser um gestor eficiente e capaz. O Balestreri é um homem capaz de fazer as devidas mediações entre as concepções teóricas da Academia para as ações políticas e administrativas, necessárias para um gestor público”, concluiu Tarso.

Currículo

Ricardo Balestreri tem 49 anos e é natural do Rio Grande do Sul. Licenciado em História, com especialização em psicopedagogia clínica e em terapia familiar, também participou do grupo que instituiu o Sistema Único de Segurança Pública (SUSP) e que formatou o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

Nos últimos anos, o secretário conheceu experiências educativas e policiais na Holanda, nos Estados Unidos, Portugal, Noruega, Inglaterra, Suécia, Costa Rica, Peru e Colômbia. Ex-presidente da seção brasileira da Anistia Internacional, Balestreri tem diversos livros sobre polícia e direitos humanos.

Trabalhou por três anos como diretor de Ensino e Pesquisa da secretaria da Senasp. Foi o responsável pela criação da Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (Renaesp) – que oferece 82 cursos de pós-graduação para 5.250 policiais e cursos à distância para outros 126 mil.

Ricardo Balestreri ainda participa de atividades na área de Direitos Humanos como integrante dos comitês nacionais de Educação em Direitos Humanos e de Prevenção à Tortura no Brasil.


http://www.mj.gov.br/data/Pages/MJ4E0605EDITEMID4D2430FDEA3D4F39AAEFDCF50B287E04PTBRIE.htm

Vamos sem populismos e avaliar o que efetivamente é preciso nas corporações ouvindo a sociedade mas também as bases...

7 comentários:

aldemir disse...

Hoje em dia a omissão do estado tona mais facil o aumento da marginalização,por isso a atual atitude da SENASP em financiar cursos de especialização sem nunhum custo a profissionais da área de segurança pública, demonstra uma preocupação com a população, pois, ter profissionais qualificados é a melhor forma de diminuir a marginalização em nosso país

Hebe Fabiana disse...

Sou estudante de pedagogia da UNESA. Tive a oportunidade de ver uma palestra teletransmitida de Direitos Humanos com o Sr. Balestreri e fiquei empolgada!
Acredito que nesse momento o Estado tem caminhado, em passos lentos na questão da educação mas, está dando uma oportunidade de grande valor pra nossa sociedade dilacerada pelo capitalismo. Infelizmente nosso país é contaminado pela corrupção em todas as instâncias. Acredito ser necessário que o Estado tenha rigor, que tenha certeza de que a verba dada aos agentes de segurança pública, está realmente sendo usada para especialização!!!

Grata pela oportunidade de poder contribuir.
Fabiana

luis disse...

Tarso Genro é um dos Minsitros mais inoperantes do atual governo. Sua gestão no Ministério da Educação foi catastrófica. Pior ainda no Ministério da Justiça. A atual situação dos presídios no Brasil e a briga de grupos na PF são uma pequena amostra da falta de rumo de seu Ministério. Tal como seu chefe, Balestreri adota o mesmo proselitismo da esquerda jurassica para esconder a sua inaptidão para os problemas de segurança. Melhor seria que estivesse na sua área de História. Luiz

Rademax disse...

Bom dia a todos, gostaria de saber como está o recrutamento dos PMS para o Curso da Força (INC), isto por que no meu estado (Paraíba), num dia sai em boletim que estão abertas inscrições para a Força Nacional, e logo no outro dia estas já são encerradas.., isto leva a crer que alguns poucos ficam sabendo antecipadamente que estas serão abertas e preparam exames e documentação exigidas.., não acho correto, deveriamos concorrer de igual pra igual até porquê a grande maioria dos guerreiros que querem servir a esta missão estão no dia a dia das ruas, não são burucratas! Abraço a todos

nadir ana disse...

ATUO JUNTO A PM DE SC, SOU MESTRANDA E ESTOU ESCREVENDO SOBRE O PM E O ENSINO SUPERIOR E BALESTRERI VEM AO ENCONTRO DE TUDO ISSO. SOU FÃ DELE.
CAPITÃO, MUITO BOM O SEU BLOG, NÃO SE CALE, CONTINUE SEMPRE...

TATIANA

Aninha*** disse...

Bem, sou Guarda Municipal de PoA e tive a honra de assistir a uma palestra do educador Ricardo Balestreri sobre as "Guardas Municipais". Ele como palestrante é uma pessoa fenomenal. Acredito que naquele dia ninguém bocejou na sala, tamanha empolgação que o Sr Balestreri falava e se referia à Instituição. Obrigada Sr Balestreri e se algum dia tiver a oportunidade, gostaria de assistir a mais palestras suas.
Ana

blogger disse...

como pedagoga, acredio na educação como instrumento para educar o cidadao. ao ler sobre o sr \ricardo balestreri, emocionei ao perceber que pela sua formação , esta inserindo a sociedadeo valor do policial da sociedade como uma parceria,